pesquise no blog

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Oficina de Direção Teatral \\ com Diogo Liberano e Thaís Barros

Como outra ação complementar à temporada de estreia de “poderosa vida não orgânica que escapa”, que segue em cartaz até 24 de setembro de 2017 no Centro Cultural Justiça Federal (CCJF), o Teatro Inominável realizará uma OFICINA DE DIREÇÃO TEATRAL com Diogo Liberano e Thaís Barros, integrantes da companhia e diretores teatrais.



Durante os quatro domingos do mês de setembro, sempre de 14h às 17h na Sala de Cursos do CCJF, Barros e Liberano irão propor discussões e investigações acerca da direção teatral a partir de vivências em diferentes processos de criação tanto junto à companhia como também fora dela. Nos quatro encontros serão desdobradas questões sobre a posição do diretor de teatro em um processo criativo, o trabalho com e a partir da intuição, as diversas relações com o texto e o corpo, as noções de autoria e partilha de autoria, bem como procedimentos para a sala de ensaio e também para a criação de um espetáculo teatral.

Como metodologia da oficina, além da leitura e estudo de textos relativos à direção teatral (e, como prática do Inominável, também leituras de textos filosóficos), serão propostas atividades a partir da análise de alguns espetáculos e o esmiuçar de suas poéticas cênicas. A oficina não é restrita apenas aos que tiverem interesse na direção teatral, mas também a qualquer um que tenha o interesse em ampliar discussões sobre composição teatral e expansão dos próprios limites do fazer teatral hoje.

\\ OFICINA DE DIREÇÃO TEATRAL COM DIOGO LIBERANO E THAÍS BARROS

De 03 a 24 de setembro de 2017
Domingos de 14h às 17h na Sala de Cursos do Centro Cultural Justiça Federal (CCJF)
Avenida Rio Branco, 241 – Centro – Rio de Janeiro/RJ

\\ INSCRIÇÕES

De 18 de agosto a 02 de setembro de 2017
Valor: R$ 200,00 (duzentos reais)

\\ DIOGO LIBERANO

É ator, diretor e dramaturgo graduado em Artes Cênicas – Direção Teatral e Mestre em Performance e Teatro pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). É professor da Faculdade CAL de Artes Cênicas, dramaturgo- coordenador do Núcleo de Dramaturgia SESI Rio de Janeiro e diretor artístico e de produção da companhia carioca Teatro Inominável, junto a qual assina a curadoria e a direção artística da Mostra Hífen de Pesquisa-Cena, Mostra Bienal de Artes da Cena. Como dramaturgo, acumulam-se cerca de 30 peças escritas e encenadas. Como diretor teatral, dentre 20 peças encenadas, destacam-se: “Sinfonia Sonho” (2011), “Vermelho Amargo” (2013), de Bartolomeu Campos de Queirós, com interlocução artística de Vera Holtz; “Uma Vida Boa” (2014), de Rafael Primot; “O Narrador” (2015); “A Santa Joana dos Matadouros” (2015) com Marina Vianna; “Amanda” (2016), de Jô Bilac, em direção compartilhada com Rita Clemente; e “O Leão no Aquário” (2017) com a Minha Nossa Cia de Teatro de Curitiba/PR. Por seu trabalho, foi indicado aos principais prêmios de teatro do Rio de Janeiro: Prêmio Shell (em 2015, pela dramaturgia de “O Narrador” e, em 2016, pela de “Os Sonhadores”), Cesgranrio (em 2015, pela dramaturgia de “O Narrador” e pela direção de “A Santa Joana Dos Matadouros”, junto com Marina Vianna e, em 2016, pela dramaturgia de “Os Sonhadores”), APTR (em 2013, pela dramaturgia de “Maravilhoso”) e Questão de Crítica (em 2012, pela direção de “Sinfonia Sonho” e pela curadoria e direção artística da primeira edição da Mostra Hífen de Pesquisa-Cena).

\\ THAÍS BARROS

Diretora e iluminadora teatral graduada em Artes Cênicas – Direção Teatral pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e integrante da companhia carioca Teatro Inominável. Junto à companhia, foi diretora assistente e iluminadora dos espetáculos “Vazio é o que não falta, Miranda” e “Sinfonia Sonho”, ambos com direção dramaturgia-direção de Diogo Liberano. Com essas criações, realizou inúmeras temporadas no Rio de Janeiro e apresentações diversas em festivais e mostras pelo Brasil, tais como: Festival de Teatro de Curitiba (PR), Tempo Festival (RJ), Mostra Rumos Cultural – Itaú Cultural (SP), FIT de São José do Rio Preto (SP), Festival Palco Giratório (Porto Alegre/RS), TREMA Festival de Teatro (Recife/PE), dentre inúmeros outros. Em 2015, foi assistente de direção e iluminadora de “Isso é um convite” do Coletivo Errante (RJ), com direção de Davi Palmeira e Dominique Arantes, recebendo o prêmio de Iluminação junto a Lívia Ataíde no Festival Internacional de Teatro Universitário de Blumenau (SC). Em 2016 dirigiu a sétima criação do Teatro Inominável, “poderosa vida não orgânica que escapa”, que também foi seu espetáculo de formatura na UFRJ.

\\ LINK PARA EVENTO NO FACEBOOK
https://goo.gl/rfpqZD